Desejos Diferentes


Nem sempre se pode ter tudo
Não se pode ficar só com nada
Não se podem pegar dois caminhos
Mas sempre pego o melhor deles

Pode ser apenas o destino
Ou pode ser coincidência
Quase nunca faço o que quero
Faço o que preciso fazer

Com o tempo eu vou aprendendo
Que ser feliz não é o objetivo
Mas sim o meio de transporte
Que existem coisas boas
E coisas que são inevitáveis

Aprendi que impulso é perigoso
E nem sempre o que se deseja
É o que mais nos convém

Estar no lugar certo
Ou até mesmo no errado
Ter um destino concreto
Até o dia em que for encerrado

Lucas Ribeiro Arantes
08/01/2011

1 comentários:

  1. Maria G. disse...:

    Belo poema, Lindo blog, Estou seguindo! Quando quiser visite o http://umprofundosentimento.blogspot.com/ ? Beijos lindo