22/09/2010



A falta de felicidade que me possui
Jogada no vento que por aí flui
Tão minha quanto sua, quanto nossa
No último sorriso que não se esboça

Todo o gingado, toda a destreza
Formas simples de se expressar
Meu corpo agora sente apenas fraqueza
Consumiu o único ar que tinha para respirar

Levando a si mesmo ao precipício
Considera sua vida ser um desperdício
Viu que os seus erros são pertinentes
Que suas buscas são permanentes

Descobriu procurar algo tão distante
Distante como uma planta do chão
Distante como o vento do furacão
Distanciava a alma de seu coração

Descobriu ser apenas mais um na estante

Lucas Ribeiro Arantes
22/09/2010

0 comentários: