08/08/10



Sangue: Vermelho, viscoso e quente
Escorrendo aos montes pelo corte recente
Corte feito com a lâmina sombria
Por um momento se acabou a agonia

Ele jorra por todas as partes
Espalhando tragédia e beleza
A mais bela de todas as artes
Aquela que é pura de natureza

Adorado pelo grandioso vampiro
O sangue foge até o ultimo suspiro
Ele que determina vida e morte
Foi todo embora, por um simples corte

Lucas Ribeiro Arantes
08/08/2010

1 comentários:

  1. Juh Andrade (: disse...:

    Poemas com rimas não fazem o meu estilo, mas gostei. Belos escritos =)