14/10/09

É como se eu estivesse sozinho no universo
Toda a miha vida, virou ao inverso
Com a lamina feita de fogo eterno
Eu fui condenado à escuridão do inferno

Paranóia é tudo que me resta
Desculpe mas acabou a festa
Vejo que a única solução é esta:
Devo dar um tiro na testa?

Esqueci como se ama, esqueci como se sonha
Cade aquela face que sempre era risonha?
No momento que te perdi, o brilho do meu olhar sumiu
Isso é normal, apenas mais um coração se partiu

Tenho que reaprender como se vive a vida
Solidão sempre foi o meu maior medo
Estou na estrada, vou curar essa ferida
Vou mudar o destino, dessa vida sem enredo

Lucas Ribeiro Arantes
14/10/09

0 comentários: